Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

passando, sem ficar.

O mundo vive apressado. Não pára. Não repara. Não sente. Não vive. Vai passando, apressado, por tantos olhos sem olhar. E nem sabe quantas almas deixou de sentir, com um olhar. Vai passando, apressado, por tantos rostos sem sorrir. E nem sabe quantas vidas deixou de salvar, com um sorriso. Vai passando, apressado, por tantos corpos sem abraçar. E nem sabe quantas casas deixou de construir, com um abraço. Vai passando, apressado, por tantas mãos sem tocar. E nem sabe quantos corações deixou de unir, com um dar de mãos. Vai passando, apressado, por tantos gritos sem calar. E nem sabe quantos segredos deixou de contar, com um silêncio. Vai passando, apressado, por tantas pessoas sem parar. E nem sabe quantos medos deixou de sossegar, com um estar. Vai passando, apressado, por tantos corações sem ver. E nem sabe quantos amores deixou de amar, com um olhar do coração. Vai passando, apressado, por tanto. E, apressado, vai passando, (quase) sempre sem ficar.

8 comentários

Comentar post