Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

demora-te (dentro de um abraço)

o mundo corre mais depressa que o tempo. o tempo não pára e dizem-nos que não podemos demorar. ensinaram-nos, e ensinam-nos todos os dias, que não há tempo para parar. não há tempo para demorar. e vamos passando, apressados, pelos dias, quase sempre sem parar. sem reparar. sem sentir, nada mais do que a correria do mundo e do tempo. quase, até, sem respirar. sem viver para o que realmente nos faz viver. para o que nos faz amar.

 

mas, hoje, eu quero dizer-te uma coisa: demora-te.

 

dentro de um abraço.

 

abraça alguém de quem gostas muito. abraça alguém que precisa de um abraço. abraça alguém porque tu precisas de um abraço. abraça porque um abraço é a forma mais bonita de (de)morar. e demora-te.

 

demora-te dentro de um abraço que, mesmo antes de abrir os braços, já está a chamar-te. um abraço que te chama com o olhar, um abraço que te convida a entrar. a ficar. a morar. demora-te dentro de um abraço que te abraça por inteiro. um abraço que segura cada pedaço do teu coração. da tua alma. demora-te dentro de um abraço que te cura. um abraço que sossega os medos. um abraço que acalma as tempestades. um abraço que te salva. demora-te dentro de um abraço que te aquece quando o mundo é frio (e quando não é, também). um abraço que te mostra o mundo mais bonito de todos os mundos. demora-te dentro de um abraço-casa. um abraço que te guarda dentro. um abraço que te abriga do mundo inteiro. um abraço que é o teu lugar. demora-te dentro de um abraço que é a forma do amor. um abraço que enlaça dois corações. um abraço que te abraça para sempre. demora-te dentro de um abraço que chega quando mais nada chega.

 

demora-te dentro de um abraço. mesmo que o mundo corra mais depressa que o tempo. mesmo que o tempo não pare e que digam que não podemos demorar. demora-te. demora-te, porque é dentro de um abraço que o mundo pára. que o tempo pára. e só quando paramos para nos demorarmos em algo, em alguém, é que vivemos. é que amamos.

 

e a verdade é esta: mesmo que o mundo corra mais depressa que o tempo e mesmo que o tempo não pare, não há correria nenhuma no mundo que compense o amor de um abraço demorado. e o milagre de um coração a sorrir.

3 comentários

Comentar post