Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menina dos abraços

um abraço: a melhor forma do amor.

menina dos abraços

um abraço: a melhor forma do amor.

Abraçar outras palavras | Abraço, de Apenas Fluir

"Deslizo para os braços 

de alguém que necessite de um abraço.

Quero que sinta no meu abraço 

o seu porto seguro,

o cheiro a casa mãe.

Lembro-me dos abraços que me enchiam em criança

preenchiam-me de esperança e felicidade.

Faziam-me sentir especial.

*

Eu estou aqui, não estás só.

Ninguém está só.

E um abraço lembra-nos isso. 

Abraço-te, abraças-me, abraçar-te-ei, abraçar-me-ás

eu e tu, nós

juntos, no presente e no futuro

enlaçaremos os nossos corpos 

num abraço

que valerá por mil palavras."

 
Palavras de Apenas Fluir, para este "abraçar outras palavras". Simplicidade, beleza, alma. São as palavras que melhor encontro para descrever tudo o que sinto quando entro no cantinho Apenas Fluir. A simplicidade é sempre a maior das belezas, não é? Quando é isso que nos vai na alma e, por isso, o que nos sai da alma também, está tudo dito. Foi este, o abraço que lhe saiu da alma. Do coração. Dos abraços em palavras mais bonitos que eu já li. Que eu já senti. Obrigada, do coração.

Abraçar outras palavras | Abraço, de Cheia

"O abraço, um amistoso cumprimento

Quando nos abraçamos sentimos o pulsar do coração

Um aperto que deixa uma grata recordação

O abraço torna-nos íntimos

Não abraçamos toda a gente

Só abraçamos quem sente

Ou quem a amizade consente

O abraço é a fala da mente

É passar para o outro um amor diferente

É ver o corpo sorridente

É mergulhar numa alegria transparente

É abraçar e voltar a abraçar novamente

É repartir com quem está ausente

É o, mais trocado, presente

É pão, é paz, é semente

É flor incandescente

É um ato consciente

É o perfume que alimenta a mente

No passado, no futuro, no presente

Com este abraço cumprimento toda a gente

Agradeço, ter- me convidado, a Daniela

Para passar um dia na casa dela

Um grande abraço para ela."

 

Palavras do José, para este "abraçar outras palavras". O José é poesia e não só. O José é palavras que falam de verdade. Que falam do dia, da vida, do coração de cada um de nós. Palavras que falam do mundo e do que nos rodeia. O José recebe-nos no espaço dele como quem nos acolhe em casa. E entra no nosso espaço com a delicadeza de quem nos visita a casa. Passo a passo. Cumprimento a cumprimento. Abraço a abraço. Palavra a palavra. Grata, José! Pelas palavras e pelo, sempre, abraço.

Abraçar outras palavras | Abraço, da Sandra

"Abraço-te em toda a longitude que um abraço pode ter. No etéreo do horizonte, procedo à soma de todas as equações que te rodeiam em caladas noites, quando submergem as sóbrias palavras que desnudas à tua escrita angular, nas tuas horas que não têm peso, e que te permitem ser por inteiro.
Abraço-te pela calada do silêncio haragano, um abraço vagabundo, feito de equador e de rosa dos ventos. Talvez a tua janela esteja aberta à vastidão da noite, talvez numa pausa do teu escrever sintas, em invisíveis margens das brumas tuas, o meu abraço que se acerca de ti, vagaroso, insinuante, derrapante. Talvez um dia, no concreto das potências do amanhã, atravessando as rasgadas passagens da orla do tempo, escrevas em tinta impermeável: Um dia, abraço-te!
E até lá? Soletra a palavra Abraço, eleva-a ao infinito e multiplica-a no teu escrever deambulante. Se tu deixares, eu andarei por lá, sílabas à solta..."

Palavras da Sandra, para este "abraçar outras palavras". A Sandra é escrita arrebatadora. É palavras que nos atravessam a alma e nos encantam o coração. A Sandra toca-nos por dentro com o que escreve, porque escreve com o que sente. A Sandra é sentir. E entra-me sempre por este cantinho a dentro com um abraço ao coração. E do coração. Obrigada, querida Sandra.

Abraçar outras palavras | Abraço, da Di

"Abraçar por dentro

Sentir-te sem te ter, num sentir sem toque nem prazer, que faz de mim vadia no querer... Abraçar no sentir, que desaparece em mim, num ir e vir de intenso prazer, qual rio a invadir o mar.

@mei-te só de te olhar, sem que me visses, sem que me existisses, num algures longe de mim, que aqui e ali estava dentro de ti, num abraço por dentro, que só eu senti."

Palavras da Di, para este "abraçar outras palavras". A Di é palavras do coração. Palavras que vêm do coração e palavras que falam do coração. Ao coração. A Di fala de amor e fala de tudo. E a Di fala com amor. A Di abraça por dentro. Que é só das formas mais bonitas de abraçar. Obrigada, Di.

Abraçar outras palavras | Abraço, do Malik

"Um abraço

Preciso do teu abraço terno,

quente de carinho e sentido,

quem me dera fosse eterno,

sinal que estava contigo;

Um abraço sem pudor

mitigando esta ansiedade,

embrulhando muito amor,

matando tanta saudade;

Quando nele te enlaço

não mais sou um solitário,

no silêncio do nosso abraço

cabe todo um dicionário..."

Palavras do Malik, para este "abraçar outras palavras". O Malik é poesia. É poesia que brota do coração, é poesia que transborda da alma. E que toca, directamente na alma também. O Malik é poesia que abraça. É poesia de magia. Uma magia que se sente, cúmplice. Obrigado, Malik!

Abraçar outras palavras | Abraço, da MJP

"O valor de um Abraço...

Um Abraço é aconchego, é abrigo, é pilar, é âncora, é porto seguro...

Um Abraço é pura Magia feita realidade, é a mais sublime forma de união, é a sincronia de dois corações, é um laço que transcende as palavras e os silêncios...

Um Abraço não se explica, sente-se...

Um Abraço não se dá nem se recebe, partilha-se... é a mais sublime forma de partilha...

Um Abraço cura, alimenta, dá coragem...

Um Abraço não se vende nem se compra, não tem preço, mas tem um valor inestimável, um tesouro que só se partilha com quem se AMA e o AMOR pode ser experienciado de muitas formas... existem muitas tipologias de AMOR, mas todas encontram expressão num Abraço... um Abraço é a mais sublime forma de transmitir AMOR...

Um Abraço é um gesto Universal, sem barreiras, que não carece de explicações, nem de traduções... transversal a todas as idades..."

Palavras da MJP, para este "abraçar outras palavras". A MJP é sempre um abraço apertadinho. Entrar no espaço da MJP e recebê-la aqui, no meu espaço, traz-me sempre o sabor disto mesmo: de um abraço apertadinho que, ao mesmo tempo, se faz colo, se faz carinho e se faz convite a voltar e a ficar todo o tempo que quiser. Todo o tempo que precisar. A MJP é sempre ternura e, sempre com a mesma ternura, às vezes de mansinho, vai-me (re)lembrando o que sou, aos seus olhos (e é tão bonito), e vai-me (re)lembrando também a importância de nunca permitir que isso mude. Não sei se a MJP sabe, mas já abraçou muitos dos meus dias. Se não sabia, agora já sabe. Obrigada, querida MJP! 

Abraçar outras palavras | Abraço, da blue

"Abraço que é casa. Abraço que sabe a casa, a voltar para ti todos os dias. Abraço que sabe a sofá, a lareiras acesas, a chocolate quente. Abraço que sabe a piquenique no jardim. A limonada. A ti. Abraço que cheira a Primavera e a Outono.

Abraço que é porto de abrigo. Refúgio da tempestade, da noite fria, dos dias conturbados. Dos meus medos. Abraço que é paz. Tranquilidade. Segurança. 

Abraço que são as pequenas coisas. Abraço que é tudo. Que é tanto.

Abraço que é mãos nas mãos, nas tuas mãos, nos teus braços, no teu peito, no teu coração. Abraço que é sorriso. Lábios que sorriem, olhos que brilham. Tanto. Tanto.

Abraço que é o riso dos nossos filhos. Abraço que é o orgulho de um pai. Abraço que são os amigos que são família. Abraço que se sente sem tocar e perdura além fronteiras. Abraço que é este abraço de Viana do Castelo até aí, até ti, minha Daniela. Abraço que é este abraço que chega a quem quer que leia estas palavras. Abraço em forma de palavras. Abraço que se sente. Sempre.

Abraço-te. Tanto."

Palavras da blue para este "abraçar outras palavras". A blue é aquela que me me acompanha e me abraça desde as primeiras palavras deste blog (como assim, já passaram 14 anos?). A blue é aquela que, passo a passo, momento a momento, dia a dia, ano a ano, abraço a abraço, foi entrando pelo meu coração como quem entra em casa e me foi acolhendo no seu, como quem nos convida a morar. A blue é, e faz-me ser também, abraço além fronteiras. Que está quando precisamos e quando não precisamos também. Que é. Sempre que se procura, é. Quando não se procura, é também. Mesmo no silêncio, é. Sabemos que está lá. Que podemos sempre voltar. Que já ficou e que não vai a lado nenhum. É. Tanto. Tanto. A blue já não é a blue daqui. A blue é a minha blue, na vida. E abraça-me (sempre) assim. Como agora, quando lhe peço para escrever para aqui e ela escreve assim, abraçando-me a mim. Tanto e sempre.

Abraçar outras palavras | Abraço, da mariana

A mariana é um abraço de alma. A mariana abraçou-me a alma desde a primeira vez que nos cruzámos por aqui. Desde o primeiro comentário, desde a primeira sintonia, desde o primeiro abraço que depois passou a ser o nosso xi, desde o primeiro sorriso e, até, desde a primeira lágrima. A mariana é o xi que passou da escrita à voz, que passou do blog à vida. A mariana é presença, é escuta, é compreensão, é voz e é confirmar-me e relembrar-me o que sou, quando o mundo às vezes chega para me baralhar as ideias ou o coração. A mariana é riso. Tanto riso e emoção. A mariana não sabe o valor precioso que tem. Ou até sabe, mas não tem noção do quanto é. Que é tanto. Mas não faz mal, eu vou-a relembrando, também. Quando for preciso e quando não for também. A mariana é a primeira deste "abraçar outras palavras". Sobre o abraço:

 

"Abraço...

O gesto dos gestos. A minha demonstração favorita de sentimentos bonitos.

Nenhum beijo se compara a um xi-coração apertadinho.

Nenhuma palavra se iguala a um xi-coração demorado.

 

Um xi é um xi. É corpo com corpo, portanto, íntimo. É ter dois perfumes misturados, criando assim o mais cheiroso de todos. É batimentos cardíacos descompensados, formando uma música praticamente inaudível que faz a alma dançar.

 

Abraço é borboletas que voam contra a barriga e paz que (finalmente) consome toda a mente, em simultâneo. É festa de arromba e tranquilidade do silêncio, em simultâneo.

Abraço é urgência. É ponto de exclamação a vermelho berrante.

Abraço é toque. É presença. É conforto. Nos braços de alguém também se pode morar.

 

Mas um abraço, mesmo sendo toque, presença, conforto e lar, não tem de ser físico.

Há abraços sem braços e esses não são menos apertados. Nem menos presentes. Nem menos confortáveis. Nem menos seguros.

Há abraços sem braços, sem corpo e sem mistura de perfumes que são igualmente importantes.

Na distância também se abraça. E que bem que se abraça.

 

Não há nada como chegar a casa e abraçar um corpo peludo de quatro patas que esperou ansioso pelo nosso regresso.

Não há nada como (re)encontrar aquela pessoa e abraçá-la com força, como se mil palavras fossem ditas no silêncio daquele entrelaço.

Não há nada como desabar num abraço caloroso que nos segura mesmo quando o nosso corpo já desistiu de se manter de pé.

 

Um abraço é tudo (de bom)."

Abraçar outras palavras

Abraçar outras palavras. O nome que faz (muito) sentido dar à novidade que vai acontecer neste cantinho, a começar amanhã. Abraçar as palavras de pessoas que irei convidar para escrever sobre temas que abraçam este blog, para publicar aqui, quinzenalmente. Pode ser um poema. Pode ser um texto. Pode ser o que for. O que fizer sentido e o que for sentido. Que seja o que vier do coração de quem escreve. Abraçar outras palavras. Porque o caminho faz tão mais sentido quando partilhado. Porque nós nunca somos só nós.

Abraçar outras palavras. Começa amanhã.