Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

Deixa-te salvar.

O mundo é salvo pelos milagres que nos acontecem por dentro.

Todos os dias.

Subtis, pequeninos.

E, ao mesmo tempo, estrondosos, arrebatadores.

Um dia é salvo por um sorriso que abraça.

Uma vida é salva por uma mão que resgata.

Um coração é salvo por um olhar que cura.

Uma pessoa é salva por um abraço que abriga.

O mundo é salvo pelo amor.

Que ultrapassa tudo.

Que muda tudo.

Que salva.

Todos os dias.

Há sempre alguém.

Há sempre alguém para te abraçar. Alguém para te receber com sabor a casa. Para te dar colo, onde podes descansar. Para quem podes sempre correr e para quem voltas sempre. Alguém para te abrigar. Há sempre alguém para te dar a mão. Alguém para te agarrar bem. Para não te largar mais. Para te segurar. Alguém para te resgatar. Há sempre alguém para te olhar mais fundo. Alguém para te ver do lado de dentro. Para te ler e percorrer cada pedaço do que és. Para te tocar a alma. Para te sentir o coração. Alguém para te descobrir. Há sempre alguém para te sorrir. Alguém para te desenhar o dia em forma de amor. Para te fazer sorrir com a magia da cumplicidade. Para te arrebatar o coração. Alguém para te cativar. Há sempre alguém para te beijar. Alguém para se tatuar em ti para sempre. Para te provar que os milagres acontecem. Alguém para te curar. Há sempre alguém para te amar. Só. Alguém para te amar chega. Há sempre alguém que, só por ser alguém para te amar, é alguém para te salvar. Para sempre.

Nunca um olhar foi tanto.

Nunca um olhar foi tanto. O abraço urgente, o beijo sedento e o sorriso escondido estão, agora, à distância de um olhar. Nunca um olhar amou tanto. Nunca um olhar foi tanto. Ou, deixa-me dizer-te: se calhar, foi sempre. Estávamos distraídos. Ocupados. Apressados. Mas... foi sempre. Um olhar. Um olhar daqueles. Um olhar que se deixa demorar. Um olhar que se cruza, que se chama, que se obriga a parar quando se encontra, e que se olha. Mas que se olha mesmo, por dentro. Um olhar que te percorre como quem te abraça. Um olhar que te toca como quem te dá a mão. Um olhar que te descobre como quem te lê. Um olhar que te pára o mundo como quem te sorri. Um olhar que te arrebata como quem te beija. Um olhar que te inunda como quem te ama. Um olhar que te ama... e que te muda a vida. Nunca um olhar mudou tantos dias, tantas vidas, tantos corações. Nunca um olhar amou tanto. Nunca um olhar foi tanto. Ou, deixa-me dizer-te: se calhar, foi sempre.