Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

menina dos abraços

Um abraço: o meu lugar.

o mundo de todos os mundos.

É a ideia de que, quando os braços abraçam, não são (só) os braços que abraçam. Os braços abrem-te um abrigo que te abriga. Um aconchego que te aconchega. Um espaço que te encaixa. Um lugar que te chama, que te quer, que te espera, que te recebe, dentro. Uma casa que é tua. O mundo de todos os mundos. Um tanto que te cura. Um abraço que te abraça. Para além do teu corpo, para além do corpo que se funde com o teu. Ultrapassa-te o corpo e percorre-te a alma, até te abraçar o coração. Um abraço de corações que se falam e se ouvem. Que se tocam e se sabem. Que se olham e se respiram. Que se sentem e se sossegam. Que se vivem e se imortalizam. Um abraço que te abraça. Para além do teu corpo, para além do corpo que se funde com o teu. Abraça-se o corpo, a alma, o coração, todo.

deixa-me falar-te de amor.

E não venham dizer-me que o amor é só isto e só aquilo. Não resumam o amor, por favor. O amor é sempre tanto mais. Do que todas as cores com que o pintam. Do que todas as formas com que o desenham. Do que todas as palavras com que o definem. Do que todos os resumos com que o resumem. E, com as tuas pessoas, as tuas mesmo tuas, encontra-lo todos os dias, ao amor. Deixa-me falar-te de amor. Abraçares as tuas pessoas e sentires que podes morar nesses abraços para sempre. Se isto não é (também) amor, o que é então?