Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menina dos abraços

um abraço: a melhor forma do amor.

menina dos abraços

um abraço: a melhor forma do amor.

Fazer corações sorrir

Deixar amor pelo caminho.

Pode mudar o mundo de alguém. Pode ser a parte mais bonita do dia de alguém. Pode abraçar a vida de alguém. Pode fazer sorrir o coração de alguém.

Fazer corações sorrir: não é para isso que cá andamos?

Às vezes, um sorriso tatuado num dia, numa vida, num coração, muda tudo. Sabes? E é por essas vezes (mesmo que seja só às vezes) que ainda vale a pena. Que ainda vale a pena isto: deixar amor pelo caminho. Tatuar o mundo com amor. Todos os dias.

A forma mais bonita.

Aquele abraço demorado. Aquele abraço, de verdade, a abraçar e a aconchegar o coração.

Aquela mão dada. Aquela mão, de verdade, a envolver e a abrigar a vida.

Aquele olhar mais fundo. Aquele olhar, de verdade, a olhar e a tocar a alma.

Aquele sorriso que abraça. Aquele sorriso, de verdade, a sorrir e a resgatar outro sorriso.

Aquele beijo de ternura. Aquele beijo, de verdade, a afagar e a curar tudo o que se é.

Aquele colo seguro. Aquele colo, de verdade, a amparar e a cuidar tanto.

Aquela palavra, e até aquele silêncio, do coração. Aquela palavra, e até aquele silêncio, de verdade, a tatuar e a confortar os sentidos.

Aquela presença sentida. Aquela presença, de verdade, a ficar e a serenar (para) sempre.

Aquele gesto do bem. Aquele gesto, de verdade, a ser e a falar de amor.

Sabes? A forma mais bonita de falar de amor, sem ser preciso falar.

*

O amor. Sempre o amor. O amor, de verdade, a salvar e a mudar tudo.

O que nos salva?

Um abraço que nos abrigue de tudo, que (nos) seja porto seguro.

Uma mão que nos ampare, que nos acompanhe, que nos conforte.

Um sorriso que nos abrace o coração, que nos ilumine a vida.

Um olhar que nos olhe de verdade, que nos olhe a alma.

Um beijo que nos afague, que nos cure.

Um colo que nos cuide, que nos segure.

Uma palavra que nos fale com amor, um silêncio que nos fale de amor.

Um gesto que nos mostre o lado bonito, que nos faça acreditar.

Alguém que nos faça sorrir, que nos inspire a ser do bem.

Alguém que nos queira bem, que (nos) seja amor.

Amor que nos salve.

*

Que nunca nos falte.

Que nunca o deixemos faltar, também.

(Ser) Esperança

Esperança.

Precisamos tanto de a encontrar: a esperança. De a encontrar e de deixar que ela nos envolva e nos conforte.

Não é sempre fácil... encontrá-la. E talvez, exactamente por isso, o verdadeiro sentido de tudo seja nós procurarmos, todos os dias, sê-la. Ser essa esperança. Fazer essa esperança existir, ser verdade.

Um sorriso do coração. Dar a mão como quem segura. Um abraço mais forte. Um olhar mais fundo, um olhar de verdade. Falar (e escutar) com amor. Cuidar com ternura, ser vida que cuida. Um gesto de amor. Ser do bem.

Pode ser a parte mais bonita do dia de alguém. Pode ser luz na vida de alguém. Pode fazer sorrir o coração de alguém. Pode abraçar a alma de alguém. Pode ser tanto. Pode ser tudo. Pode mudar o mundo de alguém.

E talvez seja um pedacinho de esperança a acontecer. Talvez seja um pedacinho de esperança a envolver e a confortar. Um pedacinho de esperança a existir, a ser verdade. Para alguém. E para nós também.

Esperança.

Que a encontremos. Que ela nos envolva bem e nos conforte. Que nunca nos falte. E que a sejamos. Que a façamos existir, ser verdade. Que nunca a deixemos faltar.

Talvez seja esse o verdadeiro sentido de tudo. E o nosso também.

Sejamos Natal. Feliz Natal.

O amor de um abraço.

Um abraço que nos afaga.

Um abraço que nos refugia.

Um abraço que nos conforta.

Um abraço que nos ampara.

Um abraço que nos aconchega.

Um abraço que nos abriga.

Um abraço que nos envolve.

Um abraço que nos enlaça.

Um abraço que nos é casa.

Um abraço que nos ama.

O amor de um abraço.

E os dias ficam mais bonitos. A vida ganha mais luz. O coração desenha um sorriso. A alma sente-se serenar. O mundo muda para melhor. E tudo faz mais sentido. E é mais sentido. 

O amor de um abraço.

O segredo da vida pode muito bem ser um abraço, como quem diz que o segredo da vida pode muito bem ser o amor.

E é.

Deixo-me encantar

Deixo-me encantar.

Deixo-me encantar por aqueles abraços que abrigam. Por aqueles abraços que se deixam (de)morar. Deixo-me encantar por aquelas mãos que amparam e que confortam. Deixo-me encantar por aqueles olhos que brilham. E por aqueles olhos que olham bem dentro, que tocam. Deixo-me encantar por aqueles sorrisos que abraçam o coração. Deixo-me encantar por aqueles beijos que curam a alma. Deixo-me encantar por aquelas palavras (e por aqueles silêncios) que falam com amor. Que falam de amor. Deixo-me encantar por aquele céu cheio de estrelas. E de lua. Deixo-me encantar por aqueles sempres que ainda existem e que são mesmo para sempre. Deixo-me encantar por aquelas pessoas que fazem sorrir. Por aquelas pessoas que são amor em forma de gente. Deixo-me encantar pelo amor. Que torna tudo mais bonito. Que salva.

Deixo-me encantar.

Deixo-me encantar porque, enquanto os dias passam, são estes pequenos nadas que me vão mostrando tudo. Tudo o que há de mais bonito. Para encontrar, para conhecer, para sentir, para viver. Tudo o que há de mais bonito para ser.

Sabes o valor infinito que tem abraçar alguém?

Nem todos os dias são em forma de sorriso. Às vezes, também há dias cinzentos. Que te pesam na alma. Que te apertam o coração. Há dias assim.

E depois um abraço. Um abraço que te abraça além do abraço. Um abraço que te chama, que te acolhe e que te deixa ficar. E tu, que te deixas ficar e (de)morar, como quem não conhece lugar mais bonito do que este. Para ser. Para estar. Para existir.

Um abraço que te abriga. Um abraço onde te deixas (re)pousar. E todo o peso do mundo e todo o aperto da vida, que guardaste em ti, começam a desatar-se de ti. Desatam-se, pouco a pouco, e devolvem-te a respiração, enquanto te percorrem a alma, o coração, o sorriso, o olhar.

Desatam-se de ti porque há um novo laço a envolver-te. Mais forte do que todos os pesos do mundo. Mais forte do que todos os apertos da vida. Mais forte do que todos os dias cinzentos.

Há aquele abraço. Que te envolve bem e que se enlaça a ti. Enlaça-se mesmo a ti. Por fora e por dentro. Como quem não conhece definição de amor mais bonita do que esta: um abraço que te chama, que te acolhe e que te deixa ficar. Um abraço a ser-te tudo. Um abraço a salvar-te.

Um abraço a provar-te que os milagres acontecem: que até uma alma pesada e um coração apertado podem ser salvos. Que até os dias que não são em forma de sorriso podem ser em forma de amor. E que não há forma mais bonita do que esta. Para ser. Para estar. Para existir.

Sabes o valor infinito que tem abraçar alguém?

Ainda há coisas boas, sabes?

Ainda há coisas boas, sabes? Por mais que pareçam mostrar-te que não. Por mais que pareçam fazer-te sentir e acreditar que não. Por mais que (quase) consigam. Ainda há coisas boas.

Sabes?

Os abraços fortes que te abraçam por dentro e por fora. As mãos que se enlaçam às tuas para sempre. Os olhos que olham dentro dos teus. Os sorrisos que te salvam o coração. Os beijos que te curam a alma. Os colos que se fazem casa. As tuas pessoas. Os "gosto de ti" do coração. As palavras que falam com amor. Os silêncios que falam mais do que as palavras. Ouvir (e sentir) o coração bater. A magia do céu cheio de lua e de estrelas. Os olhos a brilhar. As lágrimas que acabam em sorrisos. Os risos que acabam em dores de barriga. Os sempres que sabes que são mesmo para sempre. Os corações que tatuas com a tua vida e as vidas que te tatuam o coração. Viveres e seres, sempre, com o coração. Viveres e seres, sempre, com amor. No final é (só) isto: o amor.

Ainda há coisas boas, sabes? Pode não estar tudo bem. E o mal pode até contagiar. Mas deixa-me contar-te uma coisa: o amor, o bem, também contagia. Tanto. Se o deixares acontecer. Se o fizeres existir, ser verdade.

E, enquanto não te esqueceres disto, ainda há coisas boas. Sempre. Mostra-as. Vive-as. Sê-as. Todos os dias. E nunca te esqueças delas, por favor.

Sobre o que devíamos andar cá a fazer.

Que nunca nos esqueçamos de deixar um abraço de amor pelo caminho. Talvez esse abraço faça sorrir o coração de alguém.

Que nunca nos esqueçamos de estender uma mão de amor pelo caminho. Talvez essa mão abrigue a vida de alguém.

Que nunca nos esqueçamos de deixar um sorriso de amor pelo caminho. Talvez esse sorriso seja a parte mais bonita do dia de alguém.

Que nunca nos esqueçamos de deixar um olhar de amor pelo caminho. Talvez esse olhar abrace a alma de alguém.

Que nunca nos esqueçamos de deixar um gesto de amor pelo caminho. Talvez esse gesto mude o mundo de alguém.

Que nunca nos esqueçamos de ser vida de amor pelo caminho. Talvez essa vida ilumine alguém.

Que nunca nos esqueçamos de deixar amor pelo caminho. Talvez esse amor seja tanto para alguém.

Talvez cure. Talvez salve. Talvez seja tudo.

É isso: talvez esse amor seja tudo. Para alguém. E para nós também.

(E é.)