Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menina dos abraços

Um abraço. O meu lugar. O (meu) melhor lugar do mundo.

menina dos abraços

Um abraço. O meu lugar. O (meu) melhor lugar do mundo.

e hoje (e sempre) chega-me.

nunca precisei de muito. olha para mim, olha-me. vês-me? aqui dentro, vês-me? sorri. vá lá. dá-me a mão. anda cá, abraça-me. abraça-me bem. abraça-me forte. abraça-me até o abraço calar as palavras. até as palavras deixarem de saber falar. até o silêncio falar mil vezes mais do que as palavras. abraça-me até o abraço nos ultrapassar o corpo, nos percorrer a alma e nos abraçar o coração. abraça-me até o abraço fundir o que somos. abraça-me até o abraço viver do compasso dos corações a bater. abraça-me até o abraço nos guardar bem dentro. abraça-me até o abraço apagar o resto do mundo. abraça-me até o abraço ser o único lugar do mundo, de todos os mundos. abraça-me até o abraço nos ensinar que a imortalidade existe. e que está bem aqui, bem aqui dentro.

quem precisa de mapa quando se tem um abraço?

abraça-me. abraça-me como quem me resgata do mundo. quem precisa do mundo quando se tem um abraço? abraça-me como quem me sossega os medos. abraça-me como quem me cura as dores. quem precisa de médico quando se tem um abraço? abraça-me como quem me sente. abraça-me como quem me ouve o coração. quem precisa das palavras quando se tem um abraço? abraça-me como quem não me larga. abraça-me como quem me leva para casa. quem precisa de mapa quando se tem um abraço? abraça-me como quem me funde em si. abraça-me como quem me ensina o amor. quem precisa de procurar o amor quando se tem um abraço?

músicas que (nos) tocam.

tenho a tua música a tocar. ainda tenho a tua música guardada, sabes? toca-me no computador (no coração?). hoje não vou contar os anos que nos separam. não vou sentir o cansaço de toda a força que fiz para fugir da tua gravidade. não vou tocar nas cicatrizes dos pedacinhos que levaste do meu coração. não vou notar as mudanças que todos estes anos escreveram no mundo que já não é nosso (alguma vez foi?). hoje, tenho a tua música a tocar. e em cada nota, ainda gosto de ti, mesmo que já não goste mais. ainda te abraço, mesmo que já não te abrace mais. a música parou. e voltaram os anos que nos separam. voltei eu a estar do outro lado da margem. voltei a tocar as cicatrizes que já não doem. voltaram as mudanças que todos estes anos escreveram no mundo. e a tua música voltou a deixar de (me) tocar.