Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menina dos abraços

Um abraço. O meu lugar. O (meu) melhor lugar do mundo.

menina dos abraços

Um abraço. O meu lugar. O (meu) melhor lugar do mundo.

à (minha) Inês

Sabes quando olhas para ti e não te vês só a ti? Sabes quando tu olhas para o quanto cresceste e, no final de tudo, não te vês só a ti? Sabes? Sabes. Essa pessoa que tu vês quando olhas para ti, que tu vês para além de ti, é a tua pessoa. Todos temos uma. E a verdade é que a minha pessoa, aquela que eu vou ver sempre que olhar para mim, sempre que olhar para o quanto cresci e para o que sou hoje, és tu. Passem mil anos e mil distâncias. A verdade é que a minha pessoa és tu. És sempre a minha Inês, que nunca deixou de ser princesa. O mesmo coração de menina, hoje mulher, que me ensinou que um olhar cura e que trocou o seu sorriso com o meu. Tenhas 16 anos e ensinares-me a adormecer nas noites do Fundão, inventares palavras comigo e rirmos, enquanto damos as mãos e elas (junto com os nossos corações) se abraçam para sempre, tenhas 22 anos e dares mais um grande passo no caminho da felicidade com o meu coração a sorrir por ti, tenhas 100 anos e continuares a ter o mesmo sorriso, meu. És sempre tu. És sempre aquela a quem nunca tive medo de dar a chave do meu coração assim, para entrares sempre que quisesses, porque sempre soube que o ias cuidar bem e que nunca mais ias sair dele. És sempre a minha Inês, que nunca deixou de ser a princesa do meu castelo. E o meu (teu) castelo sempre foi o meu coração. O que eu e tu criámos quando ligámos de forma siamesa os nossos corações, vai muito mais além do que eu te sei dizer. Podem vir mais mil anos e mais mil distâncias. Mais mil caminhos e mais mil passos por dar. No fim, tu vais continuar a encontrar-me sempre a caminhar ao teu lado. E à tua espera, quando for preciso. Com o meu sorriso, teu. Com o mesmo orgulho e com a mesma felicidade, por cada passo que dás, seja em que sentido for. É que o meu lugar sempre foi perto de ti. E para mim “sempre”, sempre foi sempre. E contigo sempre foi um sempre e ainda mais.