Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menina dos abraços

Um abraço. O meu lugar. O (meu) melhor lugar do mundo.

menina dos abraços

Um abraço. O meu lugar. O (meu) melhor lugar do mundo.

era uma vez...

era uma vez uma menina que nasceu para abraçar. ela acreditava e sentia e sabia, no seu coração, que o mundo podia tornar-se um bocadinho melhor, com abraços. mas estes abraços tinham um segredo. abraços, já viste? ela sabia que abraçar não era suficientemente grande para melhorar o mundo inteiro, que é gigante. mas ela também sabia que, se todos fizessem um gesto pequenino, no final, todos os gestos juntos, formavam um gesto gigante, tal como o mundo. cada um só tinha de procurar, bem dentro do seu coração, qual a sua função para tornar o mundo um bocadinho melhor, e fazê-la. e a da menina era abraçar. e foi assim. um dia, a menina encontrou dois meninos muito zangados um com o outro. estavam a jogar à bola e nenhum dos dois queria perder. a menina abraçou primeiro um menino e depois o outro. eles olharam um para o outro a sorrir, fizeram as pazes e voltaram a brincar sem mais zangas. outro dia, a menina encontrou uma flor muito triste. o vento estava muito forte e tinha-lhe levado uma das suas pétalas. a menina abraçou a flor e a flor sentiu que continuava a ser muito bonita, mesmo sem uma pétala. a flor sorriu e voltou a ser feliz. outro dia, a menina encontrou um velhinho muito confuso. tinha-se esquecido do caminho certo para casa. a menina abraçou o velhinho o tempo suficiente para ele se lembrar do caminho. o velhinho sorriu e voltou a encontrar o caminho certo. outro dia, a menina encontrou uma borboleta sem vontade de voar. estava a chover e a borboleta gostava mais do sol quentinho. a menina abraçou a borboleta e a borboleta soube que, depois da chuva, o sol ia voltar para a aquecer. a borboleta sorriu e voltou a voar. outro dia, a menina encontrou uma senhora a chorar. doía-lhe o coração - às vezes acontece - disse-lhe a senhora. a menina abraçou a senhora com o seu coração bem juntinho do dela, com muita força. a senhora sorriu, limpou as lágrimas e o seu coração voltou a deixar de doer. era uma vez uma menina que nasceu para abraçar. mas estes abraços tinham um segredo. o segredo? - sempre que abrires os teus braços para abraçar, abre também o teu coração. e abraça bem forte, com todo o amor que tens dentro dele. é assim que se curam corações, pessoas, mundos. - contou-me a menina.